Grupo de Forró

O projeto ÁREA DE FORRÓ, recentemente criado em Umuarama pelo professor e coordenador Marcelo T. Pereira traz como um curso de extensão do Instituto Federal do Paraná aulas gratuitas de forró. Ministradas no Centro Cultural Vera Schubert, leva para a comunidade arte e cultura. Criando uma integração da rede Federal de Ensino Técnico e Tecnológico com a sociedade, o projeto promove vivências que contribuem com o auto desenvolvimento e amadurecimento de valores humanos para os praticantes da atividade.
O Projeto Área de forró teve inicio no ano de 2008 em Florianópolis, onde seus encontros eram realizados no espaço Multicultural La Pedreira. Composto por aproximadamente oito casais o grupo fazia suas apresentações em casas noturnas da cidade e região. Buscando sempre aprimorar sua arte, o grupo fez intercâmbios culturais em outras cidades, como Itajaí, São Paulo, Vitória, Itaúnas e Curitiba.
O Forró é uma mistura de culturas, raças, cores, classes e costumes, com um forte apelo emocional que relata a condição humana de viver do povo sertanejo. Sendo uma festa tipicamente brasileira, com suas origens no nordeste do pais, o forró abrange vários ritmos, dentre os mais conhecidos estão o xote, o baião, o xaxado, as quadrilhas e o forró pé de serra ou universitário.
O forró tem forte semelhança com o toré, um ritual indígena no qual seus participantes dançam em círculo, onde no centro esta a jurema, uma espécie de bebida alucinógena, que permite aos índios o encontro com os “encantados”. O arrastar dos pés dos índios nordestinos mais a influencia da colonização européia e o toque sutil de balançar os quadris dos africanos, tornaram essa mistura (dança) conhecida mundialmente.
O forró é conhecido por sua alegria contagiante e tornou-se febre em todo o país na voz de Luiz Gonzaga, também conhecido como o rei do baião, entre os anos de 1949 e 1950. No entanto foi à forte imigração dos nordestinos para Brasília, Rio de Janeiro e São Pulo que firmaram o ritmo e tornaram a cultura ainda mais conhecida. Outros nomes também contribuíram para o seu enriquecimento tais como Zé Dantas, Chico Salles, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, João do vale, Marines, Trio Nordestino entre tantos outros.